terça-feira, novembro 02, 2010

DEUS AMA OS ESPÍRITAS, MAS ODEIA O ESPIRITISMO

Um espírita escreveu-me irritadíssimo com a afirmação que fiz em um e-mail (dirigido a ele) sobre o espiritismo, baseada em 1 Crônicas 10:13, 14: a de que o espiritismo originou-se com o diabo. O texto mostra claramente que Deus não aprova a mediunidade:

“Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante e não ao SENHOR, que, por isso, o matou e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.”

Com isso jamais estarei condenando qualquer amigo espírita que, vivendo de acordo com a luz que recebeu, ameniza o sofrimento do próximo através das obras de caridade. Entretanto, boas obras não justificam o espiritismo, assim como o fim não justifica os meios. Nosso amigo também argumentou que o diabo é apenas um “pobre espírito escravizado pelo mal”. A seguir, a resposta dada a ele:

Caro amigo:

Independente de sua confissão religiosa saiba que o respeitamos como pessoa. E, que queremos o seu bem-estar, tanto nesta vida quanto na futura, que será inaugurada com a volta gloriosa de Jesus a esse mundo (Apocalipse 1:7). Realmente não foi Deus quem matou Saul, pois, este suicidou-se (1 Samuel 10:4). Quando 1 Samuel 10:13, 14 afirma que Deus “matou Saul”, essa é apenas uma forma hebraica de dizer que Deus permitiu que Saul morresse. E por que isso ocorreu? O texto responde:

“… morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante” 1 Crônicas 10:13.

Por uma questão de bom senso, você deve aceitar toda a Bíblia ou nada dela. Para Deus não existe meio termo: ou somos “frios” ou “quentes” (Apocalipse 3). Se você tem a Bíblia como sua norma de fé e prática terá que aceitar também o que ela diz sobre o espiritismo. E estamos percebendo juntos que a Bíblia o condensa. Por mais que se tente argumentar a favor do espiritismo, na Bíblia não se encontra embasamento para o mesmo. Recomendo que aceite a Palavra de Deus. É por ela que você e eu seremos julgados e não pelas obras de Allan Kardec. Sei que não é de uma hora para outra que entenderá e aceitará isso. Mas, pense consigo: “devo ficar com a Bíblia e o texto de 1 Crônicas 10:13, 14 ou com o kardecismo?” As duas coisas são antagônicas. Sendo que duas coisas contraditórias não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, a Bíblia ou o kardecismo tem a Verdade. Jesus disse que é a Bíblia (João 17:17) e jamais fez menção ao kardecismo (sei da diferença entre o mesmo e os rituais praticados entre os culto afro-brasileiros). Cuidado com a negação do diabo. Negar a existência dele é colocar-se em um terreno perigoso. 1 Pedro 5:8 afirma: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” Aqui não é mencionado um “pobre espírito que se escravizou ao mal” mas um ser real e pessoal – inimigo do bem e disposto a destruir a felicidade das pessoas. Se não fosse o poder de Deus, já teríamos sido derrotados. Seja prudente como Paulo: não ignore as forças do mal “para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.” 2 Coríntios 2:11. O fato de satanás ser imperfeito não é um problema de Deus, pois, tal ser foi criado perfeito (Ezequiel 28:15). Se a existência dele é sinal de que o Criador errou, a existência de um simples “espírito escravizado ao mal” também seria indício de um “erro” divino, pois, como Ele permitiu um espírito ser escravizado pelo mal?
O anjo perfeito criado por Deus tornou-se satanás (adversário) por causa da má escolha que fez ao exercer o livre-arbítrio. Nada mais que isso. Reflita com carinho no que lhe escrevi Valter. Deus tem planos para você e não foi por acaso que nos escreveu. A caridade é importante, mas, para ser totalmente aceita por Deus precisa vir acompanhada da obediência (inclusive à ordem de Deus de não ir até médiuns), como ensina Mateus 7:21-23:

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” Mateus 7:21-23.

Deixo-lhe outro texto bíblico para reflexão:

“Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”” Isaías 8:19-20
(MATÉRIA EXTRAIDA DO SITE: http://novotempo.com/namiradaverdade/2010/07/13/deus-ama-os-espiritas-mas-odeia-o-espiritismo/)

25 comentários:

  1. Muita boa a postagem, sei que é bem difício para muitos compreender essa verdade prática, mas como o amigo falou, o inimigo anda em nosso derredor agim de nos detruir, sei disso por que sofro impunidades maliguina todo dia ao começar ler a biblia no trabalho.

    Que o senhor abeçoe a todos, e que possa continuar abrindo nossas mentes para que possamos compreender a palavra de Deus.

    fiquem na paz do senhor Jesus Cristo

    ResponderExcluir
  2. pois eu verifiquei na biblia sobre as coisas que vc fala nos capitulos mas eu nao achei ;/

    ResponderExcluir
  3. Caro irmão Lincoln,

    Respeito a sua fé e sua crença, mas é importante que a nossa fé também evolua conjuntamente com a as descobertas do homem através dos tempos assim como a sua maturidade espiritual de entender as coisas que fogem da sua capacidade de entendimento.

    Como o Diabo sendo criado perfeito por Deus pôde desenvolver defeitos tão banais como a inveja e a cobiça que não se encontram presentes nem mesmo em muitos seres humanos?

    Para nós espíritas, o diabo não existe e foi apenas uma invenção da igreja como forma de controle de seus fieis que realmente eram muito céticos no passado.

    Quanto à mediunidade, o que posso afirmar é que se existe espíritos, anjos e santos, então existe a possibilidade de comunicação com eles.

    Acaso quando vocês católicos pedem ajuda por seus santos e santas não estão fazendo mediunidade?

    As aparições de Maria para os pastorzinhos não foi uma demonstração clara de MEDIUNIDADE e comunicação com um pessoa que já estava morta???

    Até mesmo as aparições de Jesus para os apóstolos, mesmo depois de morto não deixou claro a comunicabilidade com os mortos?

    O espiritismo veio para nos mostrar que mais importante do que o corpo é o espírito que nele habita. Que em cada um de nós existe um espírito criado por Deus.

    Esse espírito é imperfeito mas pode ser perfectível, ou seja, para alcançar a sua perfeição ele tem que praticar a lei de amor e caridade tão bem ensinada por Jesus.

    Ele sim, quem deve evoluir com as boas ações que praticamos e com toda a caridade que fazemos a nós e ao nosso próximo, pois o que verdadeiramente irá para junto de Deus será o espírito e não o corpo.

    Por isso Deus sempre nos dá a oportunidade de repararmos nossos erros e essa reparação é feita através da REENCARNAÇÃO, porque NA ESCALA DA EVOLUÇÃO, DEUS que é bom e misericordioso, nos considera muito mais CRIANÇAS do que CRUÉIS.

    E nesse contexto, a única forma de crescimento com justiça criado por Deus somente se justifica através da REENCARNAÇÃO.

    Sem ela, diante de tanta desigualdade existente nesta terra, de tanta criança morrendo de fome e de doênças, enquanto tantas outras se encontram na opulência e na fartura, diante desse fatos, seria inaceitável crer que Deus é um pai BOM E JUSTO.

    Como sabemos que Deus é divinamente bom e justo, então segue-se que a Ressurreição, assim como o JUIZO FINAL tão esperado por vocês, pode ter sido apenas um erro de interpretação que se propagou de tempos em tempos na humanidade.

    Pois com todo respeito, mas através da RESSURREIÇÃO, assim como do JUÍZO FINAL, não consigo ver a justiça de Deus se manifestando.

    Um abraço fraterno.

    Sebastião
    stiao173@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sebastián, na verdade VC confessou que Nao cre na Biblia. Jesús disse: Quem cre nas minhas palabras ja passou da morte para a vida. Espero que VC Nao permanezca na morte.

      Excluir
  4. INTERCAMBIO ESPÍRITA NOS EVANGELHOS DE JESUS!!


    QUE AS SEITAS FANÁTICAS FARISAICAS DA ATUALIDADE NEGUEM E CONDENEM ESTAS GRANDES VERDADES, E CONTINUEM ASSIM APEDREJANDO A MENSAGEM DA ESPIRITUALIDADE!!!


    Jesus ensinou e comprovou que a morte física não finaliza a existência e sentimentos do ser (vide ensinamento no evangelho de Lucas 16. 19 a 31).


    E APROVOU PELAS ATITUDES E ATOS:


    1) A continuação da vida espiritual em outras dimensões do Universo...


    2) Conversou no monte Tabor, na presença dos apóstolos, com os espíritos Moisés e Elias (profetas do Antigo Testamento que viveram, na Terra, há mais de mil anos antes da era cristã) (Mateus 17. 1 a 13)


    3) Pregou a boa nova de amor, paz e perdão até para os “espíritos em prisões” na dimensão extrafísica do Astral, os quais vagavam em trevas desde o período diluviano (cerca de 5000 anos antes da era cristã). Em outras palavras: as almas das pessoas que viveram na Terra, desde a época de Nóe, e que já eram falecidas na existência carnal, e que estavam errantes em trevas no plano astral (I Pedro 3. 18 a 20) (I Pedro 4. 6)(Efésios 4. 8 a 10)


    4) Restabeleceu o equilíbrio mental de pessoas que sofriam perturbações espirituais. E também conversou caridosamente com a legião de demônios que promoviam o assédio ao habitante de Gadara, interpelando amigavelmente seus nomes e, sem repreendê-los à dimensão infernal e até atendendo os seus desejos impuros, sugestionando-lhes condições de arrependimento de seus atos ofensivos (Lucas 8. 26 a 35).


    5) Proporcionou a aparição coletiva de vários espíritos dos antepassados, e que ressurgem no tempo comprovando a sobrevivência do ser em outras dimensões da vida após a morte física do corpo carnal (Mateus 27. 51 a 53)


    6) Com a era cristã, são chegados os tempos, em que os mortos podem ouvir a voz do Cristo de Deus, e os que a ouvirem reviverão... (João cap. 5 vers 25)


    7) Que ouçam os descrentes: Deus não é deus dos mortos, mas dos vivos... da Terra, assim como do Além túmulo (Mateus 22. 31 a 32)


    8) E a morte espiritual, significa: estagnação, sofrimento, expiação, trevas... A criatura permanecer desmembrada dos sentidos do bem estabelecidos na ordem da Criação, e enveredar em atividades maléficas que corrompem os sentimentos e promove a desintegração nos centros de forças da alma (Apocalipse 2. 11 e 20. 14). E para o ser não decair definitivamente no caos do inferno em sua consciência espiritual... Bem melhor é ao ser retornar à existência material, por meio da reencarnação da alma, destituídas dos órgãos que foram motivos de desacertos em sua vida pregressa, e assim reajustar-se perante os valores da Vida Eterna (Mateus 18. 7 a 9).


    9) Se alguma instituição religiosa admite em seus dogmas que a morte física é a extinção integral dos sentidos da vida, essa congregação é OPOSTA aos princípios imortais evangélicos (vide orientação de Jesus Mateus 7. 13 a 28 e, 15. 13 a 14 e Lucas 8. 16 a 18). Recomendou o Senhor: Não temais os que matam o corpo e não podem matar a Alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a Alma e o corpo (Mateus 10. 28)



    Intensivo de Difusão Espiritualidade – ide

    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. RESSURREIÇÃO CARNAL


    Segundo a Natureza a Mulher tem a sagrada missão de conceber a luz da vida carnal

    E quando a existência orgânica do homem falece libera a sua alma que adentra o cosmo espiritual (Eclesiastes 12. 7)

    Caso a consciência espiritual permaneça pesada em culpas, mágoas e sentimentos impuros ela se aflige com o porvir no além extrafisico (Lucas 16. 19 a 31)
    Daí para que o ser não fique degredado para sempre em sofrimentos abismais no astral (que pode levar a uma segunda morte – de causa espiritual), o Criador na sua infinita misericórdia, proporciona ao espírito sofredor no decurso dos séculos um novo renascimento nos fluidos da existência carnal, a fim de reajustar o ser na dimensão intelectual e moral.

    Você sabia que a ressurreição carnal é o sentido da reencarnação?

    E que os profetas da revelação hebraica ensinavam que as almas dos antepassados para não sucumbirem no sheol “o vale dos mortos”, ressurgiam do Além e renasciam no mundo carnal a partir da terceira ou quarta descendências familiares.

    Vide na Bíblia: Deus chamando no Além os Mortos e revestindo-os de matéria orgânica (ossos, nervos, carne, e pele) para habitar novamente a terra de Israel (Ezequiel 37. 1 a 14). Disse isto, e o Fiz, assim confirma a palavra divina.

    Senhor Deus misericordioso e piedoso... Que guarda a beneficência em milhares, que perdoa a iniqüidade e a transgressão e o pecado, e que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até terceira e quarta geração (Êxodo 34. 6 a 7)

    “As Mulheres receberem pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição (orientação do apóstolo Paulo, epístola aos Hebreus 11. 35)”

    obs: A Mulher nas Escrituras simboliza o templo da vida carnal

    Os seus mortos significam: as almas dos antepassados

    A ressurreição quer dizer a Alma voltar a uma nova existência, que pode ser física ou espiritual; e o concebimento por meio das Mulheres significa a ressurreição via carnal no mesmo grupo consangüíneo (assim os hebreus ensinavam através das gerações), e que expressa fisicamente a reencarnação da alma na existência carnal

    Uma melhor ressurreição representa a ascensão do ser para o plano espiritual

    O livramento: é a libertação do ser dos sofrimentos do abismo infernal

    Nota: As mulheres recebendo a ressurreição, ou seja: concebendo a reencarnação... É totalmente diferente daquela outra ressurreição espiritual que é anunciada pelo apóstolo Paulo em I Coríntios 15. 1 a 50 onde ele afirma claramente: semeia-se corpo animal, ressurgirá corpo espiritual; e se há corpo animal, há também corpo espiritual. E complementa o Apóstolo: que a carne e o sangue não podem herdar o reino divino; ou seja, a criatura (ser inteligente) não entra na glória imaterial do plano divino com o corpo carnal, e sim, apenas na essência celeste do corpo espiritual


    A Alma que pecar essa mesma morrerá (Ezequiel 18. 1 a 32)

    Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção (Gálatas 6. 7 a 8).

    Obs: algumas traduções bíblicas foram alteradas nas diversas reformas, a fim de ocultar estes ensinamentos transcendentes e com isso manter a posse dos “doutores da fé” nas congregações dos fiéis.

    Bíblias confiáveis: João Ferreira de Almeida e Pe. Antonio Pereira de Figueiredo

    Advertiu o Mestre: aqueles que tiverem ouvidos para ouvir que ouçam...
    Ou seja: que compreendam os ensinamentos revelados nas escrituras sagradas

    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O NASCER DE NOVO, A REENCARNAÇÃO


    Consolidou Jesus: Aquele que não nascer de novo não poderá alcançar o Reino de Deus; aquele que não renascer por meio da “água e do espírito” não poderá ver o Reino de Deus. Não te maravilhes, isto é, deslumbres ou impressiones... Necessário vos é nascer de novo! (João 3. 1 a 12) (I João 5. 6 a 8)

    Cristo enfatiza ao sacerdote judeu do templo farisaico de Jerusalém, que o renascimento do ser na matéria (água), já eram ensinamentos compreendidos por vários Mestres espirituais antes da era cristã... Nicodemos! Tu és mestre em Israel, e ignoras isto? (João 3. 10)

    Você sabia o significado dos elementos “água e espírito”, para vários Mestres espirituais da antiguidade? Vedismo, bramanismo, hinduísmo, zoroastrismo, hermetismo, esoterismo, essênios e caballas.

    Água: substância básica da matéria orgânica, elemento essencial à existência animal... E a criação da vida animal, primeiramente, surgiu nas águas (Gen 1. 20). A Terra era sem forma e vazia; mas o espírito de Deus movimentava as águas (Gen 1. 2).

    “A vida orgânica no planeta Terra originou-se no seio dos oceanos, que é formado de moléculas de água (Biologia”).

    Espírito: força divina individualizada na criatura que impulsiona a vida intelectual e moral dos seres humanos.

    Você tem conhecimento que a reencarnação se materializa por meio de um novo nascimento? No qual o ser-espírito imortal, na forma de foco energético submete-se no espaço e tempo das gerações sucessivas aos renascimentos no plano físico, ressurgindo em nova existência material para renovação e aperfeiçoamento do ego, crescendo interiormente, despertando o estado divino na consciência – o reino de Deus, e que integrará enfim em imagem e semelhança relativas a criatura com o seu Criador, nos planos celestiais da vida eterna.

    Não se esqueça: a gestação do ser no útero maternal tem o desenvolvimento embrionário, simplesmente, em uma bolsa d´água;

    E que o corpo humano na idade adulta, a sua essência molecular é mais de 75% formado da substância água.



    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. CORPO, ALMA E ESPIRITO

    O homem é uma estrutura viva em três dimensões essenciais: corpo, alma e espírito (I Tessalonicenses 5. 23). Ou, como ensina a espiritualidade: energia, consciência e vida.


    Com a morte orgânica do homem desintegra-se o corpo carnal, que é composto de sangue, nervos, fibras. A massa molecular do corpo vai desfazer-se no seio terra. E a alma sobrevive em outras dimensões da natureza cósmica integrada ao espírito. Na alma centralizam-se todos os sentidos e emoções do ser, e no espírito expressa a força imortal da vida, o principio vital da inteligência (Meditar ensinamento de Jesus, vide Lucas 16. 22 a 31).

    Você sabia que Jesus esclarecendo as razões das aflições humanas revelou, que: melhor seria para a criatura entrar na vida carnal deficiente do que, com todo o seu SER decair no inferno eterno - Mateus 18. 7, 8 e 9. Outro exemplo real do sofrimento como um efeito causal do pecado - erros e vícios preexistenciais, com efeito em várias reencarnações. Vide ensinamento de Jesus diante do paralítico de Betesda, que há 38 anos sofria (João 5. 5 a 14), depois de curá-lo, orientou-o: eis que ficastes são; não peques mais, para não te suceder aflições piores.

    Intensificando o espírito da palavra de Jesus: as nossas atitudes com a comunidade sócio-ambiental, e ações na vida de relação com os seres humanos reagem poderosamente na nossa estrutura psíquica. E quando vivemos em desarmonia com a vida e as pessoas de nossa convivência comprometemos a saúde mental dos sentidos da alma e do espírito. Daí para que o ser espiritual não fique eternamente numa situação de sofrimento e degredo na vida astral, melhor é, para o ser retornar ao plano físico carnal e renascer necessitado do sentido (órgão) que lhe foi motivo de desacerto em reencarnações passadas, se refazendo e elevando-se interiormente no esforço regenerador perante os valores da vida eterna.

    Versículos para reflexionar: (João 6. 63) (Mateus 10. 26, 27 e 28) (I Coríntios 15. 43 a 44) (II Coríntios 3. 6) (I Tessalonicenses 5. 23) (Hebreus 4. 12) (Eclesiastes 12. 6 a 7)

    Na integração com o PAI Celeste, tem mais valor, com Jesus: um sentimento consciencioso de perdão ao irmão de humanidade; atitudes íntimas de conciliações fraternas entre as pessoas inimigas, do que o ato exterior de pagar ofertas no altar de Templos (Mateus 5. 23 a 26) (Mt 6. 14 a 15) (Mt 18. 32 a 35).

    No antigo testamento bíblico, há 1.200 anos antes do Cristo, era instituído na Lei moisaca pelas expiações das almas: o pagamento em moeda no Altar das congregações religiosas (Êxodo 30. 11 a 16). Jesus reprovou estes costumes, e renovou as atitudes e sentimentos pelo perdão e amizade aos inimigos (Mateus 5. 43 a 45)


    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. A REENCARNAÇÃO NA BÍBLIA



    Século 5 antes do Cristo:

    O profeta Malaquias, capítulo 3 versículos 1 a 2, antevendo o futuro revelou episódios referentes à época do Cristo: eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim... E, no capítulo 4 versículo 5, Malaquias esclarece: eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e extraordinário do Senhor.

    Jesus reafirma esta profecia relacionada ao retorno do espírito de Elias, na pessoa humana de João Batista, vide Mateus capítulo 11. 10 a 14 porque é este de quem está escrito: eis que diante de tua face envio o meu mensageiro, que preparará diante de ti o teu caminho... E se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir.

    Isso se chama programação preexistencial, predestinação conforme descreve a epístola aos Romanos 8. 29 a 30: aos que Deus conheceu anteriormente, também os predestinou...

    Século I, início da era cristã:

    O anjo Gabriel em visão espiritual a Zacarias, no Templo, comunicou a gravidez de Isabel: tua mulher dará à luz um filho e lhe porás o nome de João... Porque será grande diante do Senhor, e estará nele o espírito e virtude do profeta Elias (Lucas 1. 5 a 24)

    Isso se chama renascimento, o espírito nascer de novo na existência material.

    Três décadas depois da anunciação do nascimento de João Batista pelo anjo Gabriel, Jesus confirma:

    João Batista é o maior de todos os profetas, e se quereis reconhecê-lo ele é o Elias que estava predestinado a voltar em uma nova missão... (Mateus 11. 1 a 15 e Mateus 17. 10 a 13)

    Isso se compreende reencarnação!


    Obs: profeta ELIAS, líder espiritual do povo hebreu que vivera na região do oriente médio há 900 anos antes da era cristã, e que combatera com firmeza os desvios religiosos de seus contemporâneos, ao politeísmo desregrante (I Reis 18. 22/46). E por causa dos conflitos religiosos fora perseguido e executado no vale Jordão pelos Cavaleiros de Israel (II Reis 2. 12), esquadrão militar do rei Acabe/Acazias e que estava a serviço de Baal, divindade dos povos fenícios. No entanto, o seu espírito é amparado pelas potestades celestes e é trasladado num redemoinho de forças magnéticas para os planos espirituais da Vida extrafísica (II Reis 2. 11) onde intensifica o seu aprendizado para o porvir da evolução humana; retornando assim em espírito à existência física terrestre, na época do Cristo, e submetendo-se pela Providência Divina à reencarnação humana por meio de um novo nascimento (João 3. 1/12); vivenciando assim em outra geração a personalidade João Batista, e sendo a voz que convocava as multidões para uma nova era: o entendimento fraterno aos ideais da boa nova de Nosso Senhor – o Cristo divino e guia celeste das comunidades terráqueas.

    Bíblias confiáveis traduções: Sociedade bíblica por João Ferreira de Almeida; e católica Pe. Antonio Pereira de Figueiredo;


    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. FATOS ESPÍRITAS NO ARREBATAMENTO DO PROFETA ELIAS:

    De conformidade com o período em que sucedeu o ato do arrebatamento do profeta Elias para os planos da vida celestial, reinava em Judá, berço pátrio de Elias, o rei Josafá por volta dos anos 850 antes do Cristo (2 Reis 1. 17).

    E, 10 ANOS depois do arrebatamento espiritual do Profeta para o Céu, foi enviada uma carta escrita de próprio punho pelo profeta Elias para o sucessor de Josafá, nessa época Jeorão (2 Reis 8. 16), criticando a corrupção moral de seu governo e vaticinando flagelos que cairiam sobre o povo (2 Crônicas 21. 12).

    Curiosidades: Como Elias escreveu essa carta, 10 anos depois do seu arrebatamento para a dimensão celeste? SE o mesmo já não mais pertencia ao plano físico carnal !

    Provavelmente utilizou a psicografia através da mediunidade de Eliseu, o seu auxiliar direto, vide na Bíblia depois do arrebatamento de Elias essas evidenciais em 2 Reis 2. 15: “O ESPÍRITO DE ELIAS REPOUSA SOBRE ELISEU”.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. DISCERNIMENTO ESPIRITUAL

    Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará...

    O livro de Deuteronômio capítulo 18. 10 a 13 supostamente escrito por Moisés é orientação para as tribos de Israel, observa-se o contexto básico da lei: os sacerdotes e levitas, toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança em Israel.... (esta lei religiosa foi promulgada há mais de 1300 anos antes do Cristo). E quando se refere à consulta aos mortos ESTÃO ULTRAPASSADAS para o moderno convívio espiritual cristão, respeitamos apenas como cultura religiosa.

    Porque com Jesus nós temos ensinamentos morais mais adequados à espiritualização do ser dentro dos padrões universais e soberanos de Deus, autor e consumador da vida, o nosso Pai celestial, compreendamos:

    DEUS NÃO E DEUS DE MORTOS, mas dos vivos (Mateus 22. 32)

    Porque Deus é plenitude da vida tanto na Terra quanto no Além...

    Em verdade vos digo: Vem a hora, e eis que é chegada essa hora, em que os mortos ouvirão a voz do filho do Deus, e os que a ouvirem viverão ( João 5. 25)

    Na visão do absolutismo farisaico da proibição à consulta aos mortos o próprio Jesus estaria vetado de se transcomunicar com os espíritos de Moisés (o mesmo que promulgou essa lei religiosa), e também com Elias (ambos no Além túmulo para os homens), estaríamos assim impedidos de comprovar a mais bela realidade evangélica prometida por Jesus – a imortalidade da alma e sua glória além tumulo; conforme descreve o apóstolo Mateus cap 17, e também em Lucas 9. 31; que revelam a materialização desses espíritos nos tempos de Cristo, no monte Tabor, quando se deu o fenômeno da sua transfiguração.

    Nessa Lei farisaica supostamente ensinada pelo Criador da Vida, o próprio Deus estaria se contradizendo às gerações futuras quando ordenou que várias almas de pessoas já falecidas retornassem do além e se manifestassem às pessoas contemporâneas, na Terra, entrando nas cidades e convivendo com muitas pessoas, cantando assim o hino da sobrevivência e ressurreição espiritual alem túmulo ( vide Mateus 27. 52 a 53)

    Nessa proibição farisaica absurda o próprio Evangelho de Jesus estaria bloqueado de ser divulgado aos espíritos em prisão no além túmulo, conforme nos ensina o apóstolo Pedro em (I Pedro 3. 16 a 20 e confirmar em I Pedro 4. 6 )


    PORTANTO, CARÍSSIMOS QUESTIONADORES.... NÃO ESTAMOS mais sob o jugo das leis israelitas promulgadas no Velho Testamento da Bíblia; e sim, debaixo da graça espiritual de Jesus, o Divino Mestre de nossas vidas para todos os tempos terrestres. (O Velho Testamento respeita-se apenas como cultura da religiosidade judaica, quando se refere à proibição com os chamados mortos)

    Obs: Se fôssemos duvidar da morte, como cessação de vida contínua, estaríamos duvidando do próprio Jesus que voltou do plano da morte e se comunicou com várias pessoas por longos dias; e, onde reteve as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1. 18)

    E conforme descreve o próprio Deuteronômio 18. 15 Foi despertado, no meio de nós, um grande profeta, e a Ele é que devemos seguir e obedecer, e esse profeta está encarnado no ser espiritual de JESUS CRISTO.


    Conscientização cristâ: aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as realizará maiores do que estas (João 14. 12)



    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. CONTRADIÇÕES RELIGIOSAS...

    Em todas as doutrinas religiosas existem desacordos, e nem mesmo a Bíblia está livre dos erros e cisões humanas...

    TEOLOGIA DUVIDOSA

    Quando Jesus recomendou: Examinem as Escrituras porque julgais nela ter a vida eterna, e elas testificam de mim... Jesus não foi intolerante como muitos leitores do evangelismo atual são, pois os mesmos afirmam: A Bíblia é a única palavra de Deus sem desacertos... Jesus recomendou sabiamente EXAMINAR, ou seja, ANALISAR... E nessa análise nem tudo que reza na parte do Velho Testamento da Bíblia aplica-se moralmente para o estado social do homem moderno, muitas coisas são ensinamentos JÁ ULTRAPASSADOS, exemplos:

    Quem trabalhar no sábado será morto (Êxodo 35. 2)

    Quando o homem morrer sem deixar descendência, seu irmão deve se casar com a viúva (Deuteronômio 25. 5)

    Os filhos viciosos e desobedientes aos pais devem ser apedrejados até a morte (Deuteronômio 21. 18 a 21)

    Selecionar os melhores animais para os sacrificarem em oferenda à Divindade para obter mercê da culpa pessoal (Levítico 5. 1 a 10), (práticas religiosas do Velho Testamento semelhantes aos cultos africanos, aos espíritos dos antepassados)

    É proibido comer carne de porco.... (Levítico 11. 05 a 07)

    O homossexualismo será punido com a morte (Levítico 20. 13)

    Relacionar-se sexualmente com uma mulher menstruada, o casal será expulso da comunidade (Levítico 20. 18)

    Os adultérios serão punidos com a morte (Deuteronômio 20. 10)

    Quem Blasfemar o nome do Senhor será punido com a pena de morte (Levítico 24. 16)

    Se um animal habituar-se a atacar alguém o ferindo de morte, e seu dono é conhecedor deste fato e não o guardou, o animal será morto apedrejado e também o seu dono morrerá com ele (Êxodo 21. 28 a 29)

    O homem que desviar os recursos dos dízimos consagrados no Altar para obra assistencial será punido com a pena de morte (Levítico 27. 28 a 29)

    Falou o Senhor a Moisés: Armem-se alguns de vós para a guerra, e vinga os filhos de Israel dos midianitas, matem A TODOS: homens, mulheres e crianças... POREM guardem as meninas virgens para vós (Números 31. 1 a 18). EXEGESE FORÇADA É ENGOLIR QUE ESTE ENSINAMENTO FLUÍU DA MENTE PURA DE DEUS, O PAI DAS LUZES


    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. CISÕES BÍBLICAS

    A parte esplêndida da Bíblia é a que versa sobre a espiritualidade, ou seja, buscar e servir ao Pai Celeste em espírito, porque Deus é Espírito (João 4. 23 a 24). E dentro desta espiritualidade somente renegam nas páginas da Bíblia: a imortalidade da Alma, o intercambio espiritual, a reencarnação da Alma, a multiplicidade de moradas celestiais, o atendimento fraterno com os desencarnados em trevas, o desenvolvimento de dons espirituais, a interação com os Espíritos puros, a fraternidade universal. Estas grandes verdades somente renegam religiosos extremistas e preconceituosos que não têm ouvidos para entender a espiritualidade em trechos dispersos nas páginas da Bíblia Sagrada.

    Intensivo de Difusão espiritualidade - i d e
    VOZQCLAMABR

    ResponderExcluir
  13. O ESPÍRITO DE VERDADE


    Conscientizou Jesus aos seus seguidores: Eis que são chegados os tempos em que os verdadeiros adoradores cultuarão o Pai em espírito e em verdade... Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade (João 4. 23 a 24)

    Confirma o apóstolo Paulo: Deus é o Pai dos Espíritos (Hebreus 12. 9)

    Exortou o apóstolo João: Não acrediteis em todo espírito, mas provai SE OS ESPÍRITOS SÃO DE DEUS (João 4. 1)

    Consolidou Jesus: Mas quando vier aquele Espírito de verdade, Ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir (João 16. 13).

    E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador para que fique convosco para sempre... O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conheceis, porque habita convosco e estará em vós (João 14.16 a 17).

    Pai! Santifica-os na verdade... A tua palavra é a verdade. Para que todos sejam Um, como Tu, ó Pai, o és em mim, e eu em Ti, que também Eles sejam Um em nós... E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam Um, com nós somos Um. Eu neles, e Tu em mim, para que Eles sejam perfeitos em unidade... (João 17. 17 a 23)

    Notifica Atos dos Apóstolos - A descida do Espírito: E FORAM VISTAS LÍNGUAS DE FOGO, as quais pousaram sobre cada um deles (Atos 2. 2 a 12)

    Interação correta com a espiritualidade: Porque todos poderão profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. E OS ESPÍRITOS DOS PROFETAS estão sujeitos aos profetas (I COR 14. 31 a 32)


    Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus (Apocalipse 3. 1) E olhei, e eis que estava no meio do Trono de Deus... um cordeiro que tinha sete olhos, que são sete Espíritos de Deus enviados a toda Terra (Apocalipse 5. 6) E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do Trono, e era o numero deles milhões de milhões, e milhares de milhares (Apocalipse 5. 11)


    Espírito Santo, unidade dos espíritos superiores consagrados na obra de Deus e que trabalham sob a orientação do Mestre Jesus pelo bem, pelo progresso intelectual e moral da Vida no planeta Terra.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. A TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS projeta-se como uma sessão espírita de materialização espiritual

    Relata o evangelho de Mateus, cap 17, vers 1 a 13
    Consultar também evangelho de Lucas cap 9 Vers 28 a 36

    E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Ele.

    Finalmente, uma das maiores de todas as manifestações espíritas...

    Jesus convida os apóstolos mais perceptíveis e consagrados à sua causa: Pedro, João e Tiago, e se dirigem em particular ao monte Tabor que ficava nos arredores de Jerusalém, a fim de buscarem forças através da oração edificante. E no decorrer da vibração da prece: o Senhor se transfigura em radiante luz; o seu rosto resplandece como o sol no seu fulgor; as suas vestes transmutam-se num foco de intensa luminosidade espiritual, e neste sublime momento lhes aparecem duas criaturas plenamente redivivas que fluem das dimensões superiores do cosmo espiritual e se materializam fluidicamente: Moisés que vivera há 13 séculos; e Elias que existira há 9 séculos, e que recentemente desempenhara outra missão na personalidade de João, o Batista
    E diante daquela visão luminosa no monte Tabor, os espíritos benfeitores comunicam acontecimentos que iriam brevemente desenrolar-se na cidade de Jerusalém sob a influência fanática dos sacerdotes do Templo de Jerusalém que eram seguidores intransigentes do Antigo Testamento; cobertura corrupta das autoridades políticas; e aplauso ignorante da massa popular, e que fatalmente culminaria com a prisão e morte de Jesus no Gólgota. Não foi apenas uma simples visão espiritual, e sim uma transcomunicação em glória, segundo o apóstolo Lucas 9. 28 a 31 que afirma: os quais (Moises e Elias) apareceram e falaram do calvário a cumprir-se na cidade de Jerusalém.

    Que reflexionem todos aqueles que queiram negar as manifestações espíritas! Tudo é possível para aquele que crê, e complementa o Mestre Jesus em João cap 14 vers 12 a 14: obras maiores que essas realizareis...

    Quanto ao fato verificado na materialização fluídica do espírito Elias, manifestando-se visivelmente na forma e ubiqüidade da encarnação antiga. E, se recentemente vivera a experiência carnal na pessoa humana de João Batista. Pois o próprio Mestre esclarece este fato, de que Elias e João Batista é mesmo ser espiritual, em reencarnações diferentes, conforme testemunho de Jesus em Mateus cap 11 vers 10 a 14.

    E alguns meses depois da morte física de João Batista é que ocorre o fenômeno da transfiguração de Jesus, no monte Tabor.

    - Por que, então, no monte Tabor, aparece o perfil do espírito Elias, ao invés de apresentar-se na forma de João, que era a figura mais recente de sua reencarnação?

    Nada de sobrenatural!!! E nem derrogação das causas naturais que regem os dois planos de vida: material e espiritual. Tudo, enfim, se assenta no poder imensurável da Criação de Deus e na grandeza da vida universal. A Ciência humana atualmente estuda o princípio das mutações físico-químicas de algumas bactérias, que apesar de ser a menor forma de vida na Natureza, e encara esses estudos de mudança de formas desses organismos de modo natural. Ampliando-se os horizontes da vida, na dimensão espiritual dos espíritos superiores, como é o caso de Elias/João Batista, O SER tem a faculdade, liberdade, e poder de se transmutar em uma configuração de veste espiritual de suas vidas passadas, e se apresentar nessa forma perfeitamente normal.

    As experiências vividas pelo espírito em suas reencarnações não se perdem no tempo; e sim, ficam armazenadas na subconsciência etérea do Ser, que pode naturalmente pela vontade divina e força elástica da mente extrafísica, reassumir as suas lembranças e formas gravadas no espaço de suas existências, sem prejudicar o todo de suas vestes espirituais – o perispírito. Isso ocorre naturalmente com espíritos de grande evolução já lapidados no fluxo das reencarnações.


    Estudos do livro Céus autor ABRAHÃO RIBEIRO
    Email: abhceus@gmail.com
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. 1.A respeito da parabola do rico e lázaro,Lc.cap16,revela que,uma vêz condenado para a morte eterna,não
    tem como ter uma outra chance de passar para o outro lado.O rico pediu para Abraão enviar alguns dos mortos para ter com os seus parentes e avisa-los do pecado em que viviam
    para escapar do tormento.Abraão disse
    que eles teriam de ouvi os profetas,
    ainda que algum dos mortos ressuscite
    Portanto,é finalizada sim tanto na terra como em outra dimensão do universo,exeto,no seio de abraão e no hades,porque estão aguardando o juizo final.( lêr 1.ts.4vrs13,17 )
    2.Elias não morreu,foi arrebatado 2
    reis 2,vrs11,e em joão 1vrs19,21 temos a comprovação de que joão batista afirma não ser o CRISTO,e nem elias.3a:Os espiritos em prisão
    eles continuam presos no hades ou no seio de abraão aguardando o juizo final.B.O SENHOR quando disse
    viver na carne,é viver em pecado e viver em espirito é santificarmos na palavra de DEUS.(Lêr 1pedro4.vrs
    1,6)e(galatas5.16,22)C.quanto a efésios4 é bom lêr o capitulo todo.
    4.JESUS deu uma ordem aos espiritos
    que saisse do homem e eles rogaram
    para que não os mande para o abismo
    que este lugar foi reservado para satanas e seus demonios,falsos profetas,anticristo,e os pecadores onde arderão no lago de fogo a saber é a segunda morte.5.Ali foram
    ressuscitados os corpos dos santos,
    os que criam na palavra e o serviam
    quando vivos,em seus próprio corpos
    como aconteceu com Lázaro,de betãnia,que já estava morto a4 dias
    e JESUS o ressuscitou.Sede santos por que eu o SENHOR sou santo.(Lv19,vrs2)6.Jo5,vrs24,25-O SENHOR
    está dizendo,quem obedece a sua palavra,é o que crê nele e será ressuscitado para vida eterna,hoje os que estam mortos,por causa do pecado,se arrependerem, viveram. 7.
    Abraão,isac e jacó eram fiéis a DEUS,obedeciam e poisso,digo novamente,quem morre obedecendo a DEUS,não morre eternamente,mas,saiu
    da morte para viver eternamente com
    O SENHOR.8.Apoc.2vrs8,11 quando escrito está:Espírito em letra maiuscula,é o ESPÍRITO de DEUS, portanto ele está alertando a igreja para não pecar,e viver uma vida em santidade para não receber o dano da segunda morte.B.Obedecer
    a palavra è crêr no DEUS que criou todas as coisas.O SENHOR nos alerta
    para não acrecentar e nem tirar nada do que esta escrito,(Lêr Apoca
    lipse 22vrs18,19)Fé no SENHOR gera
    boas obras.Diz o SENHOR,que aquele
    que crê em mim também fará as obras
    que eu faço e as fará maiores do que estas,porque eu vou para o PAI.
    E tudo quanto pedirdes em meu nome,
    eu o farei,para que o PAI seja glo
    rificado no FILHO.João14vrs12,14.
    Os cegos são os que segue seus pró
    prio caminhos e se deixa levar por
    doutrinas que são preceitos de homens.DEUS abençõe a todos.

    ResponderExcluir
  16. PREGAÇÃO DO EVANGELHO "AOS MORTOS"


    PORQUE POR ISSO FOI PREGADO O EVANGELHO TAMBÉM AOS MORTOS, PARA QUE, NA VERDADE, FOSSEM JULGADOS SEGUNDO OS HOMENS NA CARNE, MAS VIVESSEM SEGUNDO DEUS EM ESPÍRITO ( I PEDRO 4. 6)

    Nota: foi postado estes versiculos bíblicos em letras maiúsculas para que os cegos vêem realmente e tentem compreender o sentido da evangelização cristã até para com aqueles espíritos que estão do outro lado vida, considerados pela Teologia humana como mortos


    JESUS FOI VIVIFICADO PELO ESPIRITO, NO QUAL FOI E PREGOU AOS ESPÍRITOS EM PRISÃO... OS QUAIS NOUTROS TEMPOS FORAM DESOBEDIENTES A DEUS... ( I PEDRO 3. 18 a 20)

    Intensivo de Difusão Espiritualidade - i d e
    VOZQCLAMABR

    ResponderExcluir
  17. Esta atitude de Jesus em pregar também aos mortos cujos espíritos jaziam em prisão porque foram desobedientes ao plano divino, quando vivenciaram a existência material... JÁ DEMOLE TODAS AS CONVICÇÕES CONTRADITÓRIAS DE QUE NA MORTE NÃO HÁ LEMBRANÇA DA VIDA FÍSICA EXTINTA, de oponentes avessos ao pensamento da verdade espírita que está amparada pelo Mestre Jesus. Não adianta nem enumerar versículos do Antigo Testamento tentando subverter a lógica do raciocínio (NÃO É QUANTIDADE E SIM QUALIDADE QUE EXPRESSA A VERDADE LÚCIDA), Pois nos ensinamentos e atitudes de Jesus resumem todas as verdades divinas.

    ResponderExcluir
  18. SADUCEUS MODERNOS QUE COMPÔEM O GRUPO extremistas de estudos bíblicos, L I M P E M as escamas que obscurecem a vossa visão de entenderem a glória da imortalidade da Alma descortinada no Evangelho de N. Sr Jesus Cristo, pois Deus não é deus de mortos, mas sim dos vivos (Mateus 22. 31 a 32). Estais mortos sim, na vossa ignorância e intransigência extrema em negarem o grande plano de Deus diante da Vida.

    ResponderExcluir
  19. Ensinamento do Cristo sobre o rico e o mendigo, que após a morte física, se reconhecem na vida do Além

    Imortalidade, responsabilidade, memória e individualidade do ser na vida além

    * JESUS - (Evangelho de Lucas 16. 19 a 31)

    Analisando as orientações do ensinamento do Cristo, conforme narração acima informando-nos que, certo homem desfrutou dos bens da existência física doados por Deus, nascendo em ambiente saudável e rico. No entanto, não aproveitou o curso das suas provas para a sua evolução espiritual. Esqueceu-se da fraternidade, foi mesquinho nos ideais. Não usou os préstimos da vida para o progresso social; sendo egoísta, esbanjando os recursos da vida somente nos prazeres inferiores: festas e emoções sensuais, pois ele vivia todos os dias na ostentação da vaidade e orgulho. Não cultivou a simplicidade da fé; olvidando o principio espiritual do seu Ser, desprezando-os no consumo das sensações carnais.
    Chega-lhe, no entanto, o dia final da sua vida na carne (encarnação). E espantado, atônito, defronta-se com a imortalidade do seu Ser num plano de vibrações energéticas de pesadelo e aflições, pois é a sua própria força mental liberta dos órgãos físicos, sobrevivente, e que passa ao retorno dos reflexos dos pensamentos infelizes acumulados durante toda a sua vida material. E atormentado na profundidade da sua consciência ralada de desgostos, não consegue alçar o vôo em direção à luz dos cimos da vida sublimada; que ele, em momentos de lucidez e inspiração, entrevê; deslumbrado. Pois está chumbado em meio ao nevoeiro das criações espirituais inferiores. E ali ele permanece indefinidamente para limpar e refazer os centros vitais da alma deturpados na estrutura do ser espiritual, chorando e lastimando-se do tempo perdido.

    Intensivo de Difusão Espiritualidade - i d e
    VOZQCLAMBR

    ResponderExcluir
  20. CONTINUAÇAO DA PARÁBOLA DE LÁZARO E DO RICO

    Profundas noções de imortalidade da Alma o Senhor Jesus nos ensina na parábola do Rico e o Mendigo, e perfeitamente em concordância com a revelação Espírita, que reafirma: a morte do corpo carnal não significa a cessação da existência; e sim a passagem para uma realidade maior – a sobrevivência da essência espiritual que permanece com todas as funções intelectuais em perfeito funcionamento: lembrança dos entes queridos; coordenação das idéias; e sentimento das causas e coisas.
    O Divino Mestre demonstrou com ilustrações sugestivas que nos Planos Celestes, as bem-aventuranças são patrimônios íntimos e intransferíveis da criatura, na meta ascensional para Deus. Por isso fora dado a resposta com justiça ao rico desprovido de paz interior, que queria gozar de valores que ele não conquistara ao longo de sua jornada terrena, como seja: sugar a aura magnética e feliz de Lázaro (Lucas 16. 24-26). Há um abismo de forças que separam os que vagueiam em trevas e aqueles que se purificaram na luta redentora, alcançando enfim a sublimidade da luz divina. E naquela nova fase da vida, a bênção da harmonia celeste não favorecia a alma do rico, pois o mesmo fora muito negligente, simples gozador na vida humana e que na dimensão extrafísica colhia os efeitos de suas ações negativas. Não era necessário apenas arrepender-se; e sim se transformar, por isso era salutar nesse momento que sofresse sem revolta a reclusão a fim de reajustar-se espiritualmente, até que a luz divina brotasse na intimidade do seu ser. A alma do rico estava naquela situação de remorso expiatório no astral inferior, não pela sua condição de ter nascido em berço de ouro; e sim pelo desconhecimento do bem e falta de educação diante dos valores que a vida lhe outorgara como meta evolutiva para a verdadeira vida - a vida espiritual.

    VOZQCLAMABR

    ResponderExcluir
  21. FINALMENTE JESUS ENSINA QUE OS SOFRIMENTOS HUMANOS SAO SUFICIENTES PARA PURIFICAR A ALMA NA DIREÇAO DO PARAISO CELESTIAL

    E numa outra situação inversa, o mendigo Lázaro que recebera da Providência a dádiva de uma existência corporal repleta de aflições e que suportara com longanimidade o seguimento de suas provações, após o decesso do corpo físico a sua Alma se vê transportada pelos Anjos (os Espíritos do bem) para as dimensões extrafísicas do Universo Espiritual, onde reina a harmonia e felicidade do Ser.
    Quanto àquela dimensão nos planos astrais destinadas às almas recém-libertas dos fluidos da carne, e que venceram as suas provações dentre o povo israelita, Cristo ensina nas suas revelações que esta esfera paradisíaca tinha a direção espiritual de Abraão, ilustre patriarca hebreu que vivera há 2000 anos antes da era cristã. Mostrando assim a ordem, o aprimoramento e o trabalho que são desenvolvidos pelos seres espirituais na vida além.
    E no intercâmbio dos vivos da vida material terrestre e dos redivivos da espiritualidade celeste, o Evangelho jamais afirma nestas passagens a sua impossibilidade. E sim adverte ao aprendiz inexperiente, que qualquer merecimento em matéria de revelação espiritual; urge, primeiramente, ouvir e aprender com os ensinamentos sagrados que iniciam a criatura na vida imortal, conforme as próprias palavras do Cristo atestam esta condicional: “se não ouvem os ensinamentos de Moisés e dos Profetas (que eram considerados naquela época para os povos hebreus os grandes Mestres do Espírito), como irão acreditar!..., ainda que alguns dos mortos ressurjam diante dos homens, para exortá-los da responsabilidade e justiça na vida além-túmulo! (Lucas 16. 31)” Não era incapacidade do Poder Divino o bloqueio temporário da transcomunicação entre os dois planos de existência – espiritual e material; e sim pelo descaso da incredulidade humana em não procurar compreender e aceitar os mistérios da alma.
    Atualmente, fazendo um paralelo religioso, além de Moisés e os Profetas temos o Evangelho do Cristo acrescido da revelação consoladora do Espírito da verdade. Questionemos assim, à nossa consciência se realmente estamos ouvindo para entender a luminosa advertência de Jesus: em Deus toda natureza visível e invisível tem atividade plena no Universo, porque “Deus não é Senhor de Mortos; mas dos para sempre vivos (na Terra quanto no além-túmulo) Lucas 20. 38”.
    E que na Antigüidade o fenômeno das aparições dos espíritos de pessoas reconhecidamente atestadas como mortas era simplesmente designado pelo termo ressurreição (Lucas 16. 31). Isto porque aqueles seres apesar de terem deixado os seus corpos físicos nos túmulos, continuavam plenamente vivos e conscientes de sua situação feliz ou infeliz nos planos da existência além, através da essência extrafísica indestrutível: a consciência espírita. Caso fosse permitido pela Providência Celeste a transcomunicação sensível, visível e até mesmo tangível entre os “redivivos do Além com os vivos da Terra” se daria o fenômeno que os povos antigos também batizaram de RESSURREIÇÃO espiritual.

    ResponderExcluir
  22. DIMENSÕES DA VIDA CELESTIAL


    A alma humana depois que parte da Terra pelo seu desencarne adentra o cosmo espiritual que está integrado nas dimensões de energias e luz divina e, à medida que desperta a sua lucidez para a vida eterna, ascende nessas dimensões até o infinito cósmico.

    reflexionar: Atos dos Apóstolos 17. 28 a 29
    A Gênese (Allan Kardec) cap II. Ítens 20 a 27
    Evangelho de Lucas cap 16. 19 a 31

    Analisando o mundo espiritual, por ex: Nosso Lar, é uma esfera de vida além física sobre o território brasileiro e que abriga uma comunidade de espíritos conscientes no bem que trabalham, estudam e elevam-se para a espiritualidade superior. Mas, Nosso Lar tem um governo espiritual. E tal qual Nosso Lar existem outros domínios de vida espiritual agregados ao campo magnético das diversas regiões do planeta: Seio de Abraão, nos céus da Judéia, que foi notificado por Jesus na parábola em Lucas 16. 19 a 31. Ampliando os novos conhecimentos das colônias paradisíacas nos espaços siderais destinadas ao desenvolvimento das almas, por ex: Alvorada Nova num plano mais elevado, e adentrando mais o infinito celeste Portal da Luz localizada em uma dimensão bem mais sutil e aérea.

    As inúmeras colônias de planos existenciais além físico, no astral terráqueo, fazem parte da Primeira dimensão celestial, e essa dimensão por sua vez tem direção administrativa, que é formada por uma potestade de espíritos puros que organizam essas atividades para que tudo se desenvolva na mais completa harmonia. E assim se sucedem as dimensões ascendentes, cada vez mais sutis, e que vão se intercalando com o sistema solar, e que têm seus dirigentes que as regem. A sétima dimensão integra a esfera resplandecente de Cristo e as potestades angelicais diretoras da Vida no sistema solar, essa dimensão interage com os demais domínios espirituais das comunidades interestelares em nossa Galáxia.

    Intensivo de Difusão Espiritualidade - i d e
    VOZQCLAMABR

    ResponderExcluir
  23. DIMENSÕES DA VIDA CELESTIAL

    Primeira dimensão celestial: reúnem-se e convivem almas com feições e aspectos da vida terrestre. E a partir da segunda dimensão os seres espirituais começam a perder as características pessoais da vida humana, e assim sucessivamente. O apóstolo Paulo em arrebatamento (viagem mental fora do corpo físico carnal) informa em II Coríntios 12. 1 a 7, a sua experiência à terceira dimensão celestial onde ouviu, viu, e sentiu palavras inexprimíveis à linguagem humana (vide obra Paulo e Estevão / Chico Xavier e Bíblia sagrada). A terceira dimensão celeste é um plano transcendente das artes divinas, da música sublimada, e dos estudos sobre a origem da Vida e dos planos astrais do Universo, e essa grandeza interage com as extensões e domínios da vida espiritual dos demais planetas do sistema solar.


    João, o evangelista, em arrebatamento espiritual (fora do corpo físico) teve uma visão desses planos celestiais que integram as moradas além físicas na infinita Casa do Pai Criador, e quando escreveu o Apocalipse usou termos comparativos e adequados à sua época.

    Os 7 Espíritos de Deus enviados a toda a Terra - Apocalipse 5. 6 * Representam as sete potestades dos arcanjos diretores que regem as sete dimensões de luz que associam os planos da vida celestial em nosso sistema solar em conexão interestelar em nossa Galáxia, representados na visão apocalíptica como os sete olhos do Cordeiro. São poderes da luz divina do Pai Criador, que trabalham juntamente com o Cristo celeste a fim de que as moradas espirituais das comunidades terráqueas alcancem um dia o estado venturoso de mundo superior no bem e na verdade.

    Nota: Existe uma comunidade de Espíritos Puros e Eleitos pelo Senhor Supremo do Universo, da qual é Jesus um dos membros divinos, e em cujas mãos se conservam as rédeas diretoras da Vida de todas as coletividades planetárias, no Cosmos (A Caminho da Luz/ Chico Xavier)


    Veja o que expõe a prece: Os Espíritos do Senhor que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os olhos aos cegos.

    O Espírito da Verdade (prece mediúnica no prefácio da obra Evangelho Segundo Espiritismo - Allan Kardec)

    Intensivo de Difusão Espiritualidade - i d e
    VOZQCLAMABR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DEUS INSPIRA A BOA NOVA CRISTÃ, PORÉM CONDENA OS FALSOS RELIGIOSOS QUE SE AUTO-AFIRMAM CRISTÃOS

      Que fazeis de especial? Não fazem os publicanos também assim? (Mateus 5. 47)

      Aqueles que desconhecem que Jesus tinha uma profissão: carpinteiro
      Aqueles que nem se lembram que os discípulos também tinham ocupação: pescadores
      E que o apóstolo Paulo, era tecelão (Atos 18. 3) (I Tessalonicenses 2. 9 e II Tessalonicenses 3. 6 a 10)

      Cristo contesta severamente as atitudes dos VENDILHÕES NOS TEMPLOS E IGREJAS:

      1) Aqueles que comerciam as coisas sagradas, e utilizam as congregações religiosas como meio de vida profissional (Mateus 21. 12 e Mt 23. 2);

      2) Assentam-se na cadeira dos Profetas e Apóstolos, decoram trechos das Escrituras, ensinam e não vivenciam (Mateus 23. 1 a 7);

      3) Estão diante do “Altar” e bloqueiam o portal do conhecimento celeste, aos que desejam participar do plano divino (Mateus 23. 13);

      4) Proclamam a salvação, e não a demonstram com ações sociais e caritativas (Mateus 10. 7 a 10 e Mt 23. 14);

      5) Investem terra e mar para converter seguidores, INCENTIVAR PRECONCEITOS RELIGIOSOS EM NOME DA FÉ CRISTÃ, conduzindo cegamente os fiéis (Mateus 23. 15 a 22 e Mt 15. 1 a 14);

      6) Cobram os dízimos em nome da crença, pedem ofertas, levantam patrimônios, e desprezam o mais importante para o crescimento espiritual: a misericórdia, a caridade, a justiça, a fé com racionalidade (Mateus 23. 23);

      7) E que não distribuem gratuitamente os dons do Espírito, isto é, sem cobrar pedágios e favores... (Mateus 7. 15 a 20; 10. 7 a 10; 12. 33 a 37; 21. 12; 23. 1 a 33; Marcos 12. 38 a 40 e Lucas 10. 25 a 37);

      E nem todo que me chama: Senhor! Senhor! É digno de entrar no Reino dos Céus... E muitos me questionarão: Senhor, não ministramos profecias em teu nome? E em teu nome não repreendemos os demônios? E em teu nome não realizamos muitas maravilhas? Pois comíamos e bebíamos em tua presença nas congregações!
      E eu lhes responderei, francamente: afastai-vos de mim vós que obrastes com iniqüidades. (Mateus 7. 20 a 25 e Lucas 13. 24 a 27)

      “Porque muitos são chamados, e poucos escolhidos. E os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos (Mateus 20. 16)”.

      Intensivo de Difusão Espiritualidade
      http://vozqclamabr.blogspot.com/

      Excluir

"QUE GRATA FELICIDADE, SABER QUE VOCÊ NOS VISITOU E NOS DEIXOU UM COMENTÁRIO, ASSIM QUE POSSÍVEL LHE RESPONDEREI COM O MAIOR PRAZER, POR FAVOR DEIXE-NOS SEU E-MAIL SE ASSIM PREFERIR. SUA VISITA É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS...FIQUE EM PAZ...JESUS TE AMA..."